sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Acorrentado Como Escravo

Quando eu era criança
Me contaram que algum dia eu cresceria
E haveria de encontrar, então
Aquela princesa dos contos de fadas.

Procurei. Procurei nos filmes e livros.
Procurei desvendar os mistérios dos contos,
E não encontrei.

Viajei o mundo, mares e oceanos...
Busquei por todos os continentes,
Bosques cerrados e matas inexploradas,
Naveguei rios e mergulhei nos lagos,
Escalei montanhas e revirei cidades inteiras.
E ainda assim não podia encontra-la.

Mas eu sabia que não podia desistir,
Porque eu meus sonhos eu podia sentir.
Em meus sonhos podia imaginar,
E acreditava que minha vida podia sonhar.

Passado tempos, quando pude,
Finalmente desvinculava minhas raízes,
Deixei aquele lugar que pisava desde criança,
E fui embora, não pra muito longe,
Meu sangue, minha família,
Continuavam por lá a me dar esperança.

Ainda não tinha desistido de encontrá-la,
Só não estava mais procurando.
Mas então em um belo dia,
Essa princesa com seus truques,
Deixou suas marcas de pisadas,
E emboscou-me entre suas belas palavras.

A partir daquele momento
Não havia mais como fugir,
Muito menos resistir.

Quem diria que os contos de fadas,
Eram mesmo verdadeiros?
Quem diria que magia realmente existe,
E que você teria o dom para tal maravilha?

Encontrei-te esperando-me.
Não muito longe de onde eu costumava viver,
Ah... Lugar de alegria e felicidade,
Lugar de Carnaval para a mocidade.

Então, Princesa,
Não sou um Príncipe encantado,
Sem ter castelo, espada ou um cavalo.
Sou apenas um vassalo,
E do amor um escravo,
Te entrego apenas este pergaminho,
Cheio de palavras escritas com todo carinho.

(LUCAS NICOLÁS WENZEL VALLADARES)

Para Sempre?

É sempre a mesma coisa,
O sono se vai e os pensamentos surgem.
Deitado, olhando pro teto escuro
Imagino você junto e sua voz escuto.
Então penso comigo se estou iludido,
Se mais uma vez eu me apaixonei,
E se decepcionado outra vez serei.

São longas noites pensando sobre nós dois,
Sobre você... Sobre eu... Minha vida e a sua,
E sempre chego nas mesmas conclusões.

Não preciso dos teus beijos...
Um abraço e um sorriso bastam.
Não preciso de ti deitada ao meu lado,
Nas noites frias de nossa Guarapuava.
Mas você sentada ao meu lado,
Em um daqueles bancos na praça,
Em uma tarde calma de sol entre nuvens,
Já bastam sua presença e risada.

Não precisamos de alianças e mãos dadas,
Nada além de apenas contos de fadas.
Precisamos de brincadeiras, jogos, mais risos,
Nós dois, nossa família, tua companhia.

Meus pensamentos parecem confusos,
Minhas palavras não têm rimas,
Parece mais com um poema sem música.

Mas está repleto de sentimentos.
Como meus pensamentos,
Que querem te ver sorrir.
Mas ao mesmo tempo quero ser parte disso,
Parte de tua felicidade.
Quero fazer uma brincadeira e te ver rir.

Se me perguntam do que tenho saudades...
Ah... Nossas primeiras conversas,
Planos, risadas, preocupações,
Sorrisos, palavras carinhosas e xingamentos.

Você não gosta de poemas,
Não gosta de melancolia.
Mas quem sabe se eu disser que aqui,
Pelos meus poemas você pode me conhecer,
Você não venha apreciar a arte das mesmas?

O que eu escrevo é como eu realmente sou,
Diferente do que dizem por aí,
Diferente do que diz minha boca,
Diferente do que digitam meus dedos,
Quando estão desesperados por você...
Perder você e teu carinho são meus medos.

Vamos nos conhecer, bem profundamente,
Vista sua roupa de banho e mergulhe,
Nade até o mais profundo da minha vida.
Explore e permita que eu faça o mesmo.

Vamos nos permitir em felicidade e companhia
Então vamos estar unidos como um.
Não vamos falar sobre relacionamento,
Não vamos falar sobre fazer amor.
Mas vamos viver, e aprender a nos amarmos.
Até que o momento, que em segredo,
Dentro de cada um vamos manter,
Seja este o momento mais feliz para nós,
E que este chegue sem que percebamos.

Daqui alguns anos, quando para trás olharmos
Veremos a vida que construímos,
A amizade indestrutível que moldamos.

Então eu espero que você seja feliz,
E que sua felicidade dependa de alguém.
De alguém que estiver ao seu lado,
E espero também que esse alguém,
Não seja ninguém, a não ser tua família,
Nosso Deus, minha família,
E sempre contigo ao teu lado, Eu.

(LUCAS NICOLÁS WENZEL VALLADARES)

Mesmo assim eu gosto de você

Tão perfeita você me apareceu.
Você me conheceu,
E o amor um pelo outro cresceu.

É a distância que nos mata.
O abismo entre nós,
Não foi feito por nenhum amor;
Nenhum amor não correspondido, é claro.
Mas esse abismo foi criado,
Pelos quilômetros que nos separam.

Não derrame lágrimas de tristeza
Por sermos tão desafortunados.
Mas sim lágrimas de alegria,
Por nos conhecermos,
E nos querermos.

Ambos estamos em boas mãos;
Nas mãos de nosso destino,
E nas mãos de nosso amor.

Esse poema te escrevi,
Com a paixão do meu coração
E por todo o carinho que de ti recebi.

(LUCAS NICOLÁS WENZEL VALLADARES)

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Só para você

Não acontecia só por diversão.
Era mais como uma paixão...
Sem dúvidas cresceu um amor.
Mas isso machuca...
Muito mais que suas mordidas
E seus arranhões de amor.
Quando você afunda suas unhas
Não tão profundo em minha pele,
Para marcar seu território.
Mas te digo que você já conquistou,
E te digo mais,
Ninguém pode tomá-lo de você.
Mas como eu ia dizendo...
Nesse tanto proibido
Em não poder demonstrar
Me dói...
Não consigo demonstrar
Nem com gestos nem com atitudes,
Não tanto quanto eu gostaria.
Portanto aqui deixo registrado,
Minha promessa.
O que te dei até agora,
Jamais dei à outra,
E tampouco darei.
Teu sorriso me conquistou,
E o teu carinho me cativou.

(LUCAS NICOLÁS WENZEL VALLADARES)